segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Um dia no Zoo


Sábado passado (17/11) resolvemos passar a manhã no Zoológico de Salvador. Programa barato, saudável e cheio de descobertas, para o Davi e para os papais. O fascínio das crianças por animais domésticos e selvagens é comum e muito bem representado nos projetos de decoração dos quartos infantins, sobretudo dos meninos.

Com o filhote não podia ser diferente: livros que tenham animais como personagnes, desenhos animados, gravuras, tudo inspirado nos bichos o atrae. 

Quando os animais são de verdade então, aumenta o aprendizado, a curiosidade...

Há algum tempo não voltava ao Zoo com Davi e foi muito legal constatar o desenvolvimento da linguagem quando ele nos contava o que estava vendo/testemunhando, comparando com sua própriaa vida. "Olha mamãe, a Zebra com o filho! Ele quer mamar...", "A coruja faz hu! hu!". "A onça está brigando". "O jacaré não mexe". Cada cenário que chegava para nós, ao longo do trajeto, vinha com um comentário do menino observador.

Ao chegarmos perto do avestruz, Davi afirmava o tempo todo que era um pato, não era avestruz... mas foi ver a foto hoje pela manhã e lembrar o nome do recém-descoberto animal.

O balanço do passeio?

Sair do conforto de casa, ajudar o filho a descobrir o Mundo, a construir referências e aumentar seu repertório a partir da vivência, e não apenas como telespectar... Faz parte da delícia de ser mãe e pai! 


"Superrecomendo"!!!!!

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Halloween no Museu das Crianças

Sábado da semana passada (27/10) foi dia de celebrarmos o Halloween no Museu das Crianças. Nada mais apropriado, afinal de contas, tudo preparado pela Susan e o marido, aos moldes norte-americanos (depois dá uma lida sobre o post que fala da história do Museu).


Bem, fomos os dos, eu e Davi, aproveitar bruxas, monstros, esqueletos e aranhas. Divertimento não faltou e o filhote, que não voltava há algum tempo ao Museu, ainda aproveitou os brinquedos como sala da bola de sabão, biblioteca e experiências sensorias.


A Casa do Terror, com monstros e esqueletos foi um sucesso. No início fiquei temerosa dele ficar com muito medo, mas depois de uma negociada com os monstros, que ficaram quetinhos quando entramos, foi aprovada... assim como a aranha e a brucha que distribuia balas para a criançada.





Também encontrei algumas das pessoas do Mãe e Muito Mais, grupo que nos apresentou o Museu quando Davi tinha apenas dois meses. A correria levou nossos encontros a diminuir de frequencias, mas foi legal rever as pessoas e principalmentes as crianças bem crescinhas.